Encontre no blog...



Especiais

Entrevista | Jacob Hemphill (SOJA) – “Não estava lá para podar eles na criação”

A banda norte-americana Soja lançou nesta sexta-feira o álbum Beauty in the Silence, o primeiro em quatro anos. Junto com o disco, os integrantes também revelaram o videoclipe de Jump, em parceria com Slightly Stoopid. 

Jump é uma música sobre como a base real da experiência humana é a conexão, e eu adoro que Soja, Eric e Stoopid se juntem como pessoas que se conhecem há muito tempo”, disse o vocalista do Soja, Jacob Hemphill.

“Estamos muito felizes em colaborar com o novo trabalho de Soja”, acrescentou o guitarrista e vocalista do Slightly Stoopid, Miles Doughty. “Fazemos shows juntos há anos e foi ótimo trabalhar em uma nova faixa juntos. Mal podemos esperar para arrasar ao vivo com os meninos nos próximos shows”.

Continue lendo após a publicidade

Jacob Hemphill conversou com o Blog n’ Roll, via Zoom, sobre a nova fase do Soja e contou mais sobre a gravação de Beauty in the Silence. Confira abaixo.

Começando a falar sobre o álbum Beauty in The Silence, como foi o processo de gravação do Soja? Houve algum atraso por conta da pandemia?

Talvez tenha atrasado, mas foi interessante, é uma boa pergunta. Então, nós já tínhamos cinco ou seis músicas gravadas, com as bases, o baixo, a percussão, teclados e etc. Mas aí se iniciou o lockdown, e nós ficamos preocupados de imediato, tipo “o que vamos fazer?”.

Então o que acabou rolando é que descobrimos algo bem maneiro, que é que quando estamos gravando em um estúdio juntos, é ótimo, pois podemos trocar ideias e dar opiniões. 

Porém, quando gravamos de maneira remota, não há ninguém pra lhe dizer sim ou não, e dentro desse processo acabei recebendo as melhores contribuições desses músicos que já ouvi. Acho que é exatamente pelo motivo de que não estava lá para podar eles no momento de criação. Pois eles poderiam tirar até um mês para trabalhar em uma música, até deixá-la perfeita. 

Continue lendo após a publicidade

Nosso tecladista, Patrick, estava mandando cinco, seis, sete linhas de teclado por música, ele as colocava em várias camadas. Então gostei da combinação, nós começamos ao vivo, se encontrando, depois seguimos caminhos diferentes e sonhamos coisas diferentes para aquela música. 

O Soja em produzir mais coisas desse jeito?

Eu curti muito, e quero continuar trabalhando com esse processo. Onde formamos um esqueleto juntos, e rascunhamos vocais, e depois nos separamos para cada um trabalhar em sua melhor apresentação, e na sequência podemos editar tudo e trazer algo novo. 

Por exemplo, nós temos uma música, em que o saxofonista, Hellman, acho que ele mandou 25 sons diferentes no teclado da mesma linha, e nós apenas votamos em qual nós gostamos mais. Eu sinto que é ótimo iniciar em conjunto, mas também permitir que cada seja você ajuda muito no processo.

Li que o Trevor Young também teve uma grande participação na criação do álbum, como foi essa participação?

Trevor e eu meio que falamos durante uma hora no telefone todo dia, e ele é um melhor músico do que eu, na guitarra, no teclado, no geral. O que eu faço é compor e criar arranjos, então quando crio alguma coisa eu toco na guitarra, ou uso o gravador de voz do meu celular, e vou criando várias partes com a voz, (inicia a mostrar como seria um desses áudios tocando uma melodia com a voz) e quando termino eu envio para o Trevor e ele reproduz tudo que eu fiz no áudio, pois como eu disse, ele é melhor do que eu. 

Continue lendo após a publicidade

E ele também é um ótimo compositor, e me envia suas criações, e eu falo “não precisamos disso, precisamos mais disso”, então nós temos uma relação simbiótica, onde nós dois somos bons no que o outro faz, mas um de nós é melhor em determinado aspecto. 

Meu trabalho é escrever letras e fazer melodias, e Trevor é bom nisso também, mas ele também entende mais sobre as ferramentas de edição e de gravação, e todos esses aplicativos de computador, ele é esse cara, ele é o mago.

Isso é muito legal, então vocês se equilibram nesses quesitos, certo?

Eu e ele fazemos algo muito específico juntos, não haveria eu sem ele, quer dizer, eu ainda estaria aqui, mas nós separados somos bem diferentes do que juntos.

Falando sobre o nome do álbum, ouvi que é parte de um poema que seu pai lhe mostrou, certo? O que este poema significa pra você, e quão importante ele foi para a construção do álbum?

O poema é basicamente como a vida não será fácil, o nome do poema é Desiderata, e não vou dizer ele todo, mas resumindo ele diz que a vida não será fácil, mas será linda. Em resumo, diz não olhe de baixo para pessoas acima de você ou se tornará invejoso, e não olhe de cima para pessoa abaixo de você ou se tornará só. 

Continue lendo após a publicidade

A chave da vida é olhar para as pessoas ao redor de ti, e valorizá-las, valorizar onde você está, pois você é sortudo, e merece estar neste planeta, e merece ter a experiência de viver, não se deixe contaminar pelo sentimento de que é incapaz ou de que deveria ganhar mais dinheiro, isto vai te afundar. 

E meu pai me deu esse poema quando entrei na banda, e disse que eu deveria lembrar de cada palavra dele, e guardei cada palavra, e ele dá nome ao álbum Beauty of the Silence.

As duas primeiras linhas do poema são: “Siga tranquilamente entre a inquietude e a pressa”, pois o mundo é assim barulhento e rápido, sempre dizendo “vá”, “consiga um carro, uma garota, dinheiro”. Então, “Siga tranquilamente entre a inquietude e a pressa, lembrando-se que há sempre paz no silêncio.” E eu o chamei (o álbum) de Beauty in The Silence (Beleza no Silêncio).

Pra mim isso tem muito significado, pois toda noite, antes de deitar, eu vou para a janela e fico olhando para a lua, o céu, em silêncio, e dou muito valor a isso. O nome do álbum me dá arrepios pois é algo que realmente sinto.

É verdade, a maioria das pessoas felizes que conheci, quando eu era criança as achava simples, e eu era meio sombrio e pensativo sobre eles. Provavelmente eles sentiam tanta dor quanto eu, mas fizeram uma escolha de ver a vida de maneira positiva, de olhar para a lua como você, e não desejar por uma Mercedez ou um iPad, sabe? 

Continue lendo após a publicidade

Só olha pra porra da lua, brother, não existe nada como ela no mundo, literalmente. E hoje vejo que essas pessoas realmente sabiam o que estavam fazendo, enquanto eu só tinha na cabeça “vai, vai, vai”. Hoje olho para eles como gênios e só estou começando a entender isso depois de mais velho.

Agora falando das parcerias no álbum, como UB40, Slightly Stoopid, Stick Figure, Dirty Heads, Rebelution, Common Kings, Mihali, Nanpa Básico, Eli Mac, por que vocês escolheram esses artistas e o que eles agregaram ao álbum?

Nós fizemos uma lista de artistas que nós amamos e conseguimos a participação de quase todos da lista, é assim que os escolhemos. A razão para ter mais compositores além de mim e Trevor é que, tipo, das músicas com participações escrevi alguns versos, porém nós não escrevemos os versos do outro artista. Eles receberam o refrão e ouviram o que eu disse, então é minha experiência sobre o tema do refrão. Agora, qual é a experiência deles com o refrão? E faz a composição tomar caminhos diferentes. 

Sabe, eu era mais novo, meu grupo favorito era Wu-Tang Clan. Eu nunca tinha ouvido um produto melhor do que o RZA, e um letrista melhor do que o GZA. Mas não importava que GZA era o melhor, ainda queria ouvir o Method Man, o Ol ‘Dirty Bastard, o Ghostface. GZA era o melhor? Sim, mas se fosse apenas ele no disco, não seria o Wu-Tang Clan. 

Eu não sei, acho que é essa é a graça. Dar diferentes perspectivas, pois somos diferentes, mas mesmo assim iguais, pois quando mostramos a diferentes perspectivas mostramos o quão similares somos, porém com experiências diferentes.

Continue lendo após a publicidade

Isso é poderoso. Uma última questão, como o Soja planeja promover o álbum com todas essas limitações da pandemia? Vocês têm planos de iniciar uma turnê?

Nós sempre iremos para o Brasil, é nossa segunda casa. Geralmente passamos três meses do ano em um país: Brasil. Nós não sabemos realmente, nós temos alguns shows vindo aí, dois nos EUA. e um no México, além de festivais. 

Nossa posição é difícil, pois nessa solidão, as pessoas precisam estar perto uma das outras e precisam de música. Eu sei que preciso, comecei a enlouquecer nessa casa. 

Por outro lado, imagine como você se sentiria se começasse a adoecer pessoas, essa é uma pergunta difícil. Eu sei que o nosso agente, Eliott Harrington, tem um dos maiores corações que conheço, e sei que ele levará em consideração todos esses fatores para quando nós vamos começar uma nova turnê.

Beleza, muito obrigado pelo seu tempo, e pela ótima entrevista, desejo a vocês todo o sucesso.

O mesmo para você, ótimas perguntas, obrigado pelo seu tempo.

Continue lendo após a publicidade

ACOMPANHE

FacebookTwitterInstagramSpotifySpotify
PUBLICIDADE

CATEGORIAS

PUBLICIDADE

Posts relacionados

BR

“Aos que se foram, saudações”, começa Gigante no Mic em Coroa de Flores, novo single da rapper Stefanie, no qual ele participa dividindo os...

Entrevistas

Foram necessários seis anos para a banda inglesa Duran Duran lançar o sucessor de Paper Gods. Future Past chegou ao streaming nesta sexta-feira (22)....

Entrevistas

Artistas internacionais de reggae sempre tiveram grande aceitação no Brasil. Por esse motivo é surpreendente que a banda californiana Reggae Angels, com 30 anos...

Gringolândia

O Biffy Clyro lançou na sexta-feira (23) o álbum The Myth of the Happily Ever After. Dentre as novidades, o disco traz Errors In...