Nossas redes

O que você está procurando ?

Crédito: Tássio Ricardo

Especiais

The Cure vai do culto à festa de hits em show histórico em São Paulo

Foram necessários dez anos até o The Cure retornar ao Brasil. A quarta passagem de uma das bandas mais importantes da história do rock britânico pelo país foi no encerramento do Primavera Sound, no domingo (3), em São Paulo. Durante 2h30, Robert Smith comandou uma apresentação mesclada de culto e festa com os hits.

Songs of a lost world, álbum anunciado em 2019, teve três faixas tocadas pela banda, inclusive Alone, que abriu o show. Enquanto a banda apresentava o instrumental, Smith caminhou de ponta a ponta para contemplar o público.

Pictures of You, presente no clássico Disintegration (1989), disco mais lembrado pela banda no show, veio logo na sequência. Aqui já era possível ver muitos fãs chorando na frente do palco.

Publicidade

Passeando por álbuns clássicos como Wish, The Head on the Door e Disintegration, o The Cure promoveu uma verdadeira viagem no tempo. Impossível não recordar de lembranças afetivas ouvindo essas canções.

In Between Days e Just Like Heaven, em sequência, renderam os primeiros sing along mais fortes do público.

Ao término de cada canção, Smith com sua cabeleira desgrenhada era saudado pelos fãs aos gritos de “Robertinho”. Sem entender, o músico perguntou o que os fãs estavam gritando, recebendo como resposta a tradução para “Little Robert”.

Endsong, a terceira e última do álbum inédito do The Cure, fechou a primeira parte do show.

Publicidade

O intervalo foi bem curto. Na plateia, os mais novos gritavam por mais, enquanto os mais velhos apenas choravam e demonstravam a alegria de estar próximo dos ídolos. É preciso destacar que muitos ali eram crianças na última vez que o grupo veio ao Brasil, em 2013. Outros estavam ali pela quarta vez, após as apresentações de 1987 e 1996, quando tocou no Hollywood Rock.

O primeiro bis veio com mais cinco canções: It Can Never Be the Same, Want, Charlotte Sometimes, Plainsong e Disintegration. Mas a comoção maior veio na sequência, com o segundo bis. Aqui, o clima sombrio com trilha gótica deu espaço para os maiores hits do The Cure.

Lullaby, Friday I’m in Love, Close to Me e Boys Don’t Cry vieram quase em sequência. Da contemplação para a euforia. O clima de culto gótico deu espaço para uma festa insana na pista. Em 2h30, Robert Smith

Setlist
Alone
Pictures of You
High
A Night Like This
Lovesong
And Nothing Is Forever
Burn
Fascination Street
Push
In Between Days
Just Like Heaven
At Night
Play for Today
A Forest
Shake Dog Shake
From the Edge of the Deep Green Sea
Endsong

Publicidade

Bis 1
It Can Never Be the Same
Want
Charlotte Sometimes
Plainsong
Disintegration

Bis 2
Lullaby
Hot Hot Hot!!!
The Walk
Friday I’m in Love
Close to Me
Why Can’t I Be You?
Boys Don’t Cry

Publicidade

COLUNAS

Advertisement

Posts relacionados

Especiais

De forma apoteótica, o grupo de k-pop Twice realizou, na última terça-feira (6), seu primeiro show no Brasil. A apresentação da turnê Ready to...

Especiais

A régua para o Bad Religion no Brasil é muito alta. Com inúmeras passagens pelo país, os fãs mais fervorosos já o acompanharam em...

Especiais

Na noite anterior ao show no Primavera Sound, Beck tinha uma apresentação agendada no Rio de Janeiro, mas cancelou de última hora por questões...

Publicidade

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados

Desenvolvimento: Fika Projetos