Encontre no blog...



Gringolândia

Indicado para fãs de Black Keys, Bones Owens estreia com discaço

De Nashville, a Cidade da Música, vem Bones Owens, que acaba de lançar seu álbum de estreia, homônimo. Em resumo, o tão aguardado álbum tem uma aspereza do oeste selvagem e moderno, com versos de guitarra corajosos ao lado da voz de Owens.

Ao discutir a jornada que levou Owens à sua estreia, ele disse: “este álbum é a culminação de anos de sangue, suor e lágrimas no (music) business … fazendo discos em outras bandas, fazendo discos para outras pessoas, etc. É o fim do objetivo de fazer meu próprio álbum completo e, ao mesmo tempo, apenas o começo deste capítulo.”

Tendo deixado a cidade para retornar a algo parecido com suas raízes, ele propositalmente encheu sua sala de escrita com os incontáveis ​​tesouros e bugigangas que reuniu ao longo dos anos.

Continue lendo após a publicidade

“Minha mãe era dona de uma loja de antiguidades quando eu era criança – na verdade morávamos acima dela – então sempre tive esse amor por coisas antigas”, diz Owens, que trabalhou como antiquário por vários anos.

Com sua coleção incluindo tudo, desde o sentimental ao absurdo – uma coleção de pontas de flechas nativas americanas desenterradas por seu avô enquanto trabalhava nos pomares de frutas do Missouri, cabeças de coiote taxidermizadas adornadas com capacetes de motocicleta antigos – Owens considera esse espaço essencial para seu processo criativo.

“Para mim, a inspiração é ambiental”, diz ele. “Na maioria das vezes minhas músicas vêm de mim apenas sentado com um violão, rodeado por todas as minhas coisas favoritas.”

Escrito antes da pandemia

Com Bones Owens escrito nos dias pré-pandêmicos, Owens espera que o espírito desenfreado do álbum possa fornecer uma elevação muito necessária para seu público.

Continue lendo após a publicidade

“Quando fiz esse álbum, obviamente não tinha ideia de que o mundo estaria tão completamente mudado na época em que fosse lançado”, diz ele. “Este álbum para mim foi sobre um momento transformador na minha vida. Tratava-se de perda e dor, mas também de amor e de encontrar uma saída em tempos sombrios. Sinto que tudo isso são emoções e sentimentos aos quais estou conectado agora, tanto quanto quando foram escritos”.

Contudo, Bones Owens é uma expressão completa dos impulsos mais selvagens de Owens, todos os ritmos suaves e riffs arrogantes. A estreia do músico criado no Missouri é uma vitrine potente para seu formidável trabalho com a guitarra; um talento que ele demonstrou ao se apresentar com artistas tão ecléticos como Yelawolf e Mikky Ekko.

Aliás, a maior parte do álbum mostra Owens unindo forças com o baterista Julian Dorio (Eagles of Death Metal) e o baixista Jonathan Draper (All Them Witches), gravando ao vivo em fita e infundindo cada faixa com uma vitalidade frenética.

Continue lendo após a publicidade

ACOMPANHE

FacebookTwitterInstagramSpotifyYoutube
PUBLICIDADE

CATEGORIAS

PUBLICIDADE

Posts relacionados

BR

Em uma busca pela internet é possível encontrar uma definição para “anemoia”: Nostalgia de um tempo no qual você nunca viveu. Em resumo, é...

Gringolândia

Três anos após sua estreia inovadora, Human, Rag’n’Bone Man entregou aos fãs, nesta sexta-feira (7), Life By Misadventure, segundo disco de estúdio. Aliás, Rag’n’Bone...

BR

O guitarrista, produtor, cantor, compositor e arranjador Lucas Vasconcellos faz um retorno às origens em Teoria da Terra Plena, seu quarto álbum solo. Conhecido...

Gringolândia

The Battle at Garden’s Gate, segundo disco do Greta Van Fleet, já pode ser conferido nos principais aplicativos de música. Em suas 12 faixas,...