Nossas redes

O que você está procurando ?

Mundo Extremo - Cláudio Azevedo

Crítica | Torn Arteries – Carcass

Após o álbum From Enslavement to Obliteration (1988), o guitarrista Bill Steer deixou o Napalm Death e assumiu o Carcass em tempo integral. Os dois primeiros álbuns, Reek of Putrefaction (1988) e Symphonies of Sickness (1989), abalaram a todos com seu grindcore violentíssimo, além das nojentas temáticas splatter.

Mas foi com dois seguintes, Necroticism Descanting The Insalubrious (1991) e o seminal Heartwork (1993), que o quarteto inglês marcou seu nome na mente dos deathbangers, criando um estilo totalmente original, uma forma única de executar o seu metal extremo, com os vocais de Jeff Walker e os riffs de Steer e Michael Amott, hoje no Arch Enemy. Após anos de hiato, o grupo retornou com outro clássico, Surgical Steel (2013).

Aliás, após todo o sucesso de Surgical – inclusive com uma passagem pelo Brasil -, os reis da nojeira voltam com Torn Arteries, novíssimo álbum. Ao observar o título e a capa do álbum, e passando pelos títulos das músicas, os fãs já acionam o play com sentimento de vitória antecipada, pois todas as características da banda estão lá, intactas.

Publicidade

Em resumo, o que temos em Torn Arteries é digno de outro mundo. A faixa-título já se inicia com os matadores riffs de guitarra, e não demora para o peso absurdo entrar em cena, numa pegada bastante parecida com a fase Heartwork.

Logo depois, o desfile de pérolas da podreira continua com Under The Scalpel Blade, cujos blastbeats da introdução são brilhantemente executados pelo baterista Daniel Wilding, que sem dúvida soube capturar o espírito do Carcass.

Carcass em alta na reta final do álbum

Por fim, Flesh Ripping Sonic Torment Limited conta com um espetacular solo de Steer, enquanto as matadoras Wake Up And Smell The Carcass/ Caveat Emptor e The Scythes’s Remorseless Swing encerram esse álbum deixando o ouvinte atordoado.

Contudo, também vale citar a extremamente técnica Kelly’s Meat Emporium, onde mais uma vez Steer mostra que é um dos guitarristas mais talentosos do metal mundial.

Desnecessário repetir, mas individualmente o Carcass conta com músicos excepcionais, que conseguem transformar cada obra em quase uma sinfonia de metal extremo. Portanto, acredite, Torn Arteries vem para se juntar ao já poderoso arsenal do Carcass, que só conta com álbuns anormais de tão bons.

Publicidade

Torn Arteries
Ano de Lançamento
: 2021
Gravadora: Nuclear Blast
Gênero: Death Metal/Death N´ Roll

Faixas:
1-Torn Arteries
2-Dance of Ixtab (Psychopomp And Circustance March N 1 In B)
3-Eleanor Rigor Mortis
4-Under The Scalpel Blade
5-The Devil Rides Out
6-Flesh Ripping Sonic Torment Limited
7-Kelly´s Meat Emporium
8-In God We Trust
9-Wake Up And Smell The Carcass / Caveat Emptor
10-The Scythes Remorseless Swing

Publicidade

COLUNAS

Advertisement

Posts relacionados

Mundo Extremo - Cláudio Azevedo

Os gregos do Septicflesh podem ser considerados uma das mais bandas originais do cenário extremo. Sua precisa mistura de death com partes atmosféricas e...

Mundo Extremo - Cláudio Azevedo

Os americanos do Misery Index podem não ser tão populares aqui no Brasil, mas é uma das melhores bandas podronas do mundo atualmente. Exagero?...

Brasil Extremo - Cláudio Azevedo

Quem acompanhou o cenário nacional no final dos anos 1980 e início dos 1990, com certeza lembra dos mineiros do The Mist, banda liderada...

Mundo Extremo - Cláudio Azevedo

Desde o início de sua jornada, com o magistral EP Sentence of Death (1984), Schmier e sua turma jamais decepcionaram seus fãs. Tá certo...

Publicidade

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados

Desenvolvimento: Fika Projetos