O que você está procurando?

Geral

Liberdade da arte de Henri Matisse inspira o segundo EP da Amphères

EGLE CISTERNA

Com um som que mescla vertentes de rock alternativo e nuances psicodélicas, a banda santista Amphères lança o segundo EP, Dança, nesta sexta-feira nas plataformas digitais, como YouTube, Bandcamp, Spotify e Deeezer. O trabalho traz para o som referência das artes plásticas.

Continua depois da publicidade

Com linhas de baixo bem marcadas e baterias vibrantes, que permitem explorar a pu-gência de guitarras com texturas harmônicas, loops, dissonâncias e ruídos diversos, o público pode conferir cinco faixas que tratam da liberdade humana. Os sons fortes contrastam com a voz suave e letras curtas que reforçam o tema principal do álbum.

A inspiração da banda para o novo trabalho veio do artista francês Henri Matisse. “Quando eu trabalhava na faixa Wax, me vinha muito o significado da dinâmica humana de liberdade, que eu tinha estudado em Matisse. A obra Ícaro estava muito presente e eu trouxe essa referência estética para o trabalho. E esse tema reflete em todo o EP”, conta a vocalista e baixista, Paula Martins, referindo-se à pintura neo-impressionista que retrata a queda do personagem da mitologia grega, que tentou fugir da Ilha de Creta criando um par de asas de cera e que terminou caindo no Mar Egeu.

Além das músicas, o título do EP e toda a identidade visual do trabalho conversam com a obra do francês. A artista Anna Brandão, que assina a capa, uso o quadro A Dança como referência. “Essa inspiração no quadro nos levou a ter um trabalho de releitura a partir de um texto dos conceitos da obra de Matisse. Esse foi o fio condutor”, explica a baixista.

Ela conta que o álbum é uma evolução do primeiro EP, Amphères, de 2016, lançado pouco depois da formação da banda. “Rapidamente, a gente gravou o primeiro trabalho (o EP Amphères), que foi um trabalho bem mais simples”, conta a artista. “Depois disso, veio um processo de amadurecimento e temos, agora, algo mais elaborado, maduro mesmo”.

Continua depois da publicidade

A banda é formada por Paula, que divide os vocais com o baterista Jota Amaral e o guitarrista Thiago Santos. Os músicos tocavam juntos em outros projetos desde 2012 e, com a saída de um dos integrantes da última banda, eles resolveram continuar como um trio.

O show de estreia do EP deve acontecer em março, no Estúdio Aurora, na Capital, onde foi feita a gravação, que conta com a coprodução de Aécio de Souza. “A gente está muito feliz de tocar lá, que é um espaço bacana e uma referência legal para a gente, mas queremos também nos apresentar em casa”, conta ela, que procura um local para mostrar o trabalho nos palcos de Santos, onde nasceu a Amphères.

Enquanto isso não ocorre, os músicos não param de produzir. O foco agora é o clipe da faixa A Dança, que está em fase de pré-produção e pode ser conferido, em breve, no canal de YouTube da banda.

Enquanto Dança não chega nas plataformas digitais, ouça o primeiro trabalho da Amphères…

Continua depois da publicidade

COLUNAS

Advertisement

Posts relacionados

Entrevistas

Comemorando os 40 anos de carreira, mais precisamente do lançamento do primeiro álbum do Kid Abelha, Seu Espião (1983), Paula Toller retorna a Santos,...

Publicidade

Copyright © 2024 - Todos os direitos reservados

Desenvolvimento: Fika Projetos