Nossas redes

O que você está procurando ?

Crédito: Liliane Callegari

Especiais

Garbage agrada nova e velha geração em São Paulo

O show na sequência do Suede no Main Stage era de mais um estreante no Brasil: Garbage. Sucesso nos anos 1990, a banda de Shirley Manson mexeu muito com os roqueiros na época do hit Only Happy When It Rains (1995), que reinava nas rádios e programas da MTV. Seja pela sua beleza, voz potente ou pela excelência da banda, que tem Butch Vig, produtor do álbum Nevermind, do Nirvana, na bateria.

Quase 20 anos depois do seu grande momento, o Garbage segue reunindo seus principais ingredientes. Shirley continua hot aos 46 anos, a voz impecável e os outros integrantes não a abandonaram. Resultado: uma volta no tempo com alguns momentos de renovação.

A apresentação, pontual como em todos os shows do festival, abriu com Automatic Systematic Habit, faixa inaugural do novo álbum Not Your Kind of People, lançado em março. Bastaram os primeiros acordes para a frente do palco Main Stage ficar cheia e animada.

Publicidade

Os mais nostálgicos, entretanto, foram brindados com um hit logo na sequência: I Think I’m Paranoid, do álbum Version 2.0, de 1998. Atenciosa com o público, Shirley conversou o tempo todo, agradeceu a oportunidade de participar do festival, elogiou o País e mostrou antenada ao carinho dos fãs. Antes de iniciar Cherry Lips, ofereceu a canção para Rafael, um fã brasileiro que costuma mandar mensagens carinhosas para a banda.

Em outro momento de interação com os fãs, aconselhou: “A coisa mais legal de tocar em uma banda é conhecer quem você admira. Então, se vocês tiverem vontade de conhecer pessoas, outras culturas, montem uma banda amanhã de manhã!”

Tocar quase todos os seus hits foi uma forma inteligente que o Garbage encontrou para agradar os fãs antigos e o público que desconhecia a banda. Em faixas como Stupid Girl, uma menina comentou com a amiga que adorava o som, mas não sabia que era algo próprio do Garbage.

Outro cara, que saiu de Araçatuba, no interior de São Paulo, para assistir o Kings of Leon se surpreendeu com a performance. “Cara, essa banda é muito boa. Nunca ouvi falar, mas a mulher canta muito bem”, disse. São nessas horas que percebemos que o tempo voou e como ele foi generoso com Shirley e sua banda.

Publicidade

Why Do You Love Me, Crush e Special foram cantadas inteiras pelos fãs. Mas o ponto alto estava guardado para o final, quando a cantora escocesa emendou dois dos seus principais hits para encerrar o show: Push It e Only Happy When It Rains.

Set

  1. Automatic Systematic Habit
  2. I Think I’m Paranoid
  3. Shut Your Mouth
  4. Why Do You Love Me
  5. Queer
  6. Stupid Girl
  7. Hammering In My Head
  8. Control
  9. #1 Crush
  10. Cherry Lips (Go Baby Go!)
  11. Blood for Poppies
  12. Milk
  13. Special
  14. Talk of The Town / I Got To Sleep (covers do The Pretenders)
  15. Push It
  16. Only Happy When It Rains

Publicidade
1 Comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Posts relacionados

Pop Asia

“Porque eu fiz parecer fácil”. Foi com essa frase que o Le Sserafim iniciou sua primeira apresentação, por volta de 22h50, de sábado (13),...

Agenda

Pilar sólido do influente hardcore nova-iorquino e uma das bandas mais cultuadas do gênero no mundo, o Gorilla Biscuits enfim volta ao Brasil após...

Publicidade

Copyright © 2024 - Todos os direitos reservados

Desenvolvimento: Fika Projetos