O que você está procurando?

C6 Fest

Young Fathers convida público para dançar em show de soul selvagem

“Vocês querem dançar?”, perguntou com um grito gutural Kayus Bankole, um dos vocalistas do Young Fathers, durante a apresentação da banda no C6 Fest, no último domingo (19), direto do Parque do Ibirapuera, em São Paulo.

De início, ouvindo os primeiros segundos de uma música da banda, não é bem uma dança que vem à mente. Só que sua banda se especializou em unir características de diversos gêneros e externá-los numa pegada selvagem, de forma que é possível entender o convite feito.

Enquanto o hip hop é notável, principalmente nos cantos de Bankole, Graham “G” Hastings, outro dos integrantes vocais da banda, canta encontrando uma agressividade de bandas punk contemporâneas como IDLES. Tem ainda o terceiro membro oficial, Alloysious Massaquoi, que, com seus vocais e percussão, joga um som tribal nessa fórmula musical.

Continua depois da publicidade

Como se não bastasse essa já excêntrica mistura, nos shows, o Young Fathers ainda é acompanhado da suave voz soul de Amber Joy, nos backing vocals. Como é possível esse arranjo todo funcionar e terminar em dança?

Foi o que o público da banda no Palco Heineken descobriu, ainda que o espaço estivesse mais vazio do que a criatividade da banda merece; talvez pela concorrência com a Tenda MetLife, que trazia nomes como Pavement e Cat Power em horários concorrentes. Independente disso, para sorte de quem pode estar por lá, o Young Fathers se preocupou apenas em agitar a audiência com sua proposta de dança tribal e soul selvagem.

A mistura das quatro vozes com estilos e timbres distintos, aliados aos sons sintéticos — controlados quase que espontaneamente por “G” —, e as batidas secas nos instrumentos de percussão que eram intercalados durante a apresentação, criaram o ambiente dançante prometido.

Quem topou participou de algo que deve se assemelhar a uma rave dos primórdios, quando danças eram embaladas por sons de percussão, ainda que sons sintetizados estejam presentes aqui.

Continua depois da publicidade

Nos momentos mais serenos, o neo soul predominava, embora mantivesse um ritmo vibrante, mantendo a urgência de movimento corporal para aqueles que estavam ali para se envolver na música do Young Fathers.

Conta como destaque ainda o palco Heineken, que projetava na fachada do Auditório do Ibirapuera as imagens da banda executando sua performance. Mesmo distante, quem estava pelo local podia ver e ouvir a exibição do grupo.

O som proposto e executado pelo Young Fathers no C6 Fest, que remete ao natural, ao primordial, ainda que envolto de modernidade, foi perfeito para simbolizar um festival realizado em um enorme parque no meio da maior representação urbana do país.

Continua depois da publicidade

COLUNAS

Advertisement

Posts relacionados

C6 Fest

Precisamos falar sobre o Pavement. A apresentação que rolou no último fim de semana, dentro do C6 Fest, foi mais do que um show...

Publicidade

Copyright © 2024 - Todos os direitos reservados

Desenvolvimento: Fika Projetos