Nossas redes

O que você está procurando ?

Especiais

Jawbox transporta público em uma viagem sonora aos anos 1990, em Camden

Em mais um dos casos de shows marcados e remarcados por algumas vezes em função da pandemia, as lendas do rock alternativo Jawbox tocaram em Londres na última quinta-feira (9).

Um fato curioso é que essa foi a primeira vez desde 1994 em que a banda veio como headliner por aqui. Aliás, esse era o único show da banda no Reino Unido. O local escolhido não poderia ser melhor, o Electric Ballroom, em Camden.

E, por falar em escolhas, a banda de apoio desse show também foi uma excelente ideia: os ingleses do Delta Sleep, que em poucas semanas desembarcam para uma série de shows na América do Sul.

Publicidade

Poucos minutos antes do início do Delta Sleep, a casa estava vazia. Bastaram os primeiros acordes para uma quantidade considerável de público aparecer. E foi aumentando durante a apresentação da banda.

Com um mix de melodias, bateria percussiva e um baixo forte com as vozes intercalando agressividade e sutileza, a banda pontuou o set com músicas do último álbum, Spring Island.

A mescla sonora da banda gera um mix de emoções durante as músicas. Os andamentos malucos deixam tudo muito imprevisível e vidrados no palco. Os músicos exploram os instrumentos e efeitos de forma muito especial, fazendo com que o show fique muito orgânico, mesmo com tantas variações durante as músicas.

Destaques do show? Sim, os pontos altos ficam por conta de View to a Fill, Lake Sprinkle Sprankler e Dotwork. Sem
exagero nenhum, um dos melhores shows que acompanhei nos últimos tempos.

Uma viagem direta do túnel do tempo nos levou de volta para os anos 1990, desde o público que já era grande na casa até a trilha sonora entre os shows.

Publicidade

O Jawbox é daquelas bandas que sempre será lendária e estará nos melhores line-ups de todos os festivais. A musicalidade deles explica essa grande aceitação. É uma banda que se destacou em uma época que era tudo diferente. Aliás, depois de idas e vindas, sem lançamentos por pelo menos 20 anos, ainda mostra toda a sua relevância.

Muito ruído e bateria desconstruída são as marcas registradas da banda, e isso ao vivo é reproduzido fielmente.

A apresentação é uma imersão no meio dos anos 1990 com FF=67, Nickel Nickel Millionaire. Outras músicas como Chinese Fork Tie e Grip nos mostraram uma banda que estava extremamente feliz no palco e se sentindo totalmente acolhida pelo público.

A baixista e fundadora, Kim Colleta, era só sorrisos durante a apresentação da banda, dispensando até o uso de microfones para se comunicar com o público. Uma avalanche sonora na noite de quinta-feira em Londres com duas gerações lado a lado trocando experiências e referências sonoras.

Publicidade

COLUNAS

Advertisement

Posts relacionados

Especiais

Quando foi anunciada há dois anos, a Hella Mega Tour deixou o público enlouquecido. Três superbandas juntas em um giro mundial: Green Day, Weezer...

Especiais

Um dia antes, o Twenty One Pilots havia vencido o prêmio de melhor performance ao vivo do Kerrang Awards, prêmio da tradicional revista britânica....

Especiais

O Ronnie’s Scott, no Soho, em Londres, por si só já vale uma visita. É como visitar um estádio de futebol lendário sem jogo....

Especiais

O Kenwood House, no norte de Londres, promove anualmente uma série de shows em seu gramado, entre junho e agosto. A trinca curiosa Confidence...

Publicidade

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados

Desenvolvimento: Fika Projetos